Como avaliar a qualidade de um apartamento Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa, antes de fechar negócio

Se você está pensando em comprar um imóvel que se enquadra no programa Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa, é bem provável que esteja com uma certa preocupação em relação à qualidade do empreendimento. Isso não acontece à toa, afinal, é bem comum o surgimento de reportagens apontando insatisfação dos moradores que adquiriram um apartamento dentro do programa MCMV, não só aqueles que adquirem imóveis na faixa 1 do programa, a faixa de preço (e consequentemente qualidade) mais baixa, mas também em todas as 4 faixas. Se você está com essa preocupação, entenda que, para avaliar a qualidade de um imóvel no programa Minha Casa Minha Vida, diversos critérios precisam ser considerados. Não são todas as obras que têm má qualidade, mas em contrapartida, nem tudo são flores e realmente existem falhas e problemas por parte de construtoras. A cidade de Ponta Grossa, inclusive, é reconhecida como o município paranaense que mais recebeu investimentos do programa Minha Casa Minha Vida por número de habitantes, portanto, é muito importante estar atento na hora de selecionar o que pode vir a ser uma boa aquisição ou não. A seguir, indicamos alguns critérios para você avaliar a qualidade de um empreendimento Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa.

Condomínio Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa
Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa, no bairro Ronda. Imagem: Diário dos Campos.

Como funcionam as faixas do programa Minha Casa Minha Vida?

 

O Minha Casa Minha Vida em Ponta Grossa é dividido em 4 faixas diferentes. A divisão mais atualizada, que foi estabelecida no início de 2017 é a seguinte:

– Faixa 1: para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil;

– Faixa 1,5: famílias com limite de renda mensal de R$ 2,6 mil;

– Faixa 2: famílias com limite de renda mensal de R$ 4 mil;

– Faixa 3: famílias com limite de renda mensal de R$ 9 mil.

Independentemente da faixa, é comum encontrarmos reclamações e reportagens abordando a baixa qualidade do MCMV, sendo a maioria delas insatisfações devido a infiltrações, vazamentos, trincas e falta de prumo (verticalidade das paredes e colunas).

 

Mas então surge a dúvida: Minha Casa Minha Vida com qualidade, é possível?

 

Sim, é possível! Principalmente tratando-se da faixa 3 do programa, onde o valor é um pouco mais elevado e o material utilizado tem melhor qualidade. Inclusive, apesar das reclamações, as pesquisas apresentam que o índice de satisfação dos usuários do programa é predominantemente médio (47,2%) e alto (33,1%). Isso porque a Caixa e algumas das melhores construtoras em Ponta Grossa oferecem uma assistência satisfatória quando surge algum problema relacionado à construção.

Apesar das polêmicas, o programa MCMV conta com diversos pontos positivos, como por exemplo:

– A velocidade do programa, com 2,7 milhões de moradias entregues em 7 anos, o que colaborou para a redução no déficit habitacional do país.

– Outro fator de destaque, é valor subsidiado pelo governo.

– Talvez o mais importante de todos é a redução da taxa de juros de financiamento, que torna o programa uma das formas mais baratas de financiamento imobiliário.

Quando falamos em qualidade construtiva, é uma questão que deve ser levada muito em consideração antes de fechar negócio para comprar seu imóvel. Como são diversas construtoras e empreiteiras diferentes atendendo ao programa, o que mais torna difícil estabelecer é um padrão de qualidade único. Mas há formas de combater e denunciar as obras má executadas, como você pode ler a seguir.

 

Como avaliar a qualidade de uma obra Minha Casa Minha Vida?

 

Existem alguns critérios indicados pela própria Caixa Econômica para avaliar a qualidade de empreendimentos MCMV. Os principais são:

 

Estrutura: Verificar o excesso de rachaduras internas e externas. Peitoris, soleiras e filetes trincados ou quebrados. Vidros trincados, quebrados ou soltos. Outro ponto também importante é verificar se o imóvel está limpo e sem restos de obra;

– Histórico: Se a obra ainda está em andamento ou apenas começando, peça para avaliar outros empreendimentos executados pela construtora.

– Paredes, piso e teto: A presença de piso é obrigatória. Deve-se checar se as cerâmicas e azulejos não estão soltos, trincados, quebrados e se não há falhas de pintura e acabamento;

– Portas e janelas: Verificar se a fechaduras, trincos, maçanetas e trancas estão funcionando perfeitamente. Se as portas e janelas não estão empenadas, não apresentam frestas, não raspam no piso e se estão fechando normalmente. Checar os acabamentos e pinturas;

– Parte externa e cobertura: Verificar a existência de telhas soltas, trincadas, quebradas, bem como telhados desalinhados, empenados, corroídos ou com cupins. Checar se não há marcas de goteiras e se as calhas e rufos estão bem fixados. Nas calçadas, checar se não há trechos soltos, trincados ou quebrados.

– Instalações elétricas: Verificar as tomadas, interruptores e disjuntores para se certificar se estão fixados corretamente nas paredes e se estão funcionando normalmente. Conferir se circuitos de iluminação, chuveiro e tomadas estão identificados no quadro de disjuntores. Verificar se o disjuntor do chuveiro não desarma após o banho.

– Instalações de água: Conferir se o vaso sanitário, pia, tanque e bancada da cozinha estão intactos e bem montados. Testar a água para verificar se está limpa e não está dando vazamento.

– Instalações de esgoto: Observar as tampas das caixas de passagem e de gordura estão bem assentadas, sem sinais de quebra ou trinca. Verificar se há mau cheiro nos ralos.

 

Minha Casa Minha Vida – De Olho na Qualidade

 

A Caixa Econômica Federal, percebendo e entendo os diversos problemas relacionados a reclamações sobre a duvidosa qualidade das obras MCMV, lançou o “De Olho na Qualidade”. Trata-se de um programa em que os beneficiados do MCMV podem registrar reclamações e fazer denúncias em relação à (falta de) qualidade dos empreendimentos. A partir da denúncia, o construtor recebe a reclamação e tem duas opções: elaborar um laudo de contestação ou resolver os problemas apontados, se eles realmente forem de sua responsabilidade. Caso as falhas não sejam corrigidas, os responsáveis entram na “lista negra” do Minha Casa Minha Vida e são impedidos de participar do programa até que normalizem o problema.

Para realizar uma denúncia ao De Olho na Qualidade, ligue: 0800-721-6268.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *